Documentário sobre Caso Nardoni promete provas contra casal

Ana Giardini
3 Min Read

Depois do sucesso dos longas com versões diferentes do caso Richthofen (Prime Video), a série ficcional e documental sobre a tragédia da boate Kiss (Netflix e Globoplay) e a série sobre o assassinato de Daniella Perez (HBO Max), a Netflix anunciou o lançamento de documentário trazendo a repercussão do caso Nardoni.

- Continua após a publicidade -

Apesar de serem temas frequentes em canais pagos, documentários sobre crimes reais e acontecimentos de grande apelo social e midiático nunca haviam ganhado tanto espaço. Este gênero, redescoberto no Brasil nos últimos anos, tem atraído atenção de telespectadores que aderiram a novas formas de contar a história e a curiosidade de entenderem um pouco melhor as notícias publicadas anos atrás.

Já são 15 anos, desde que Isabella Nardoni, na época com 5 anos, faleceu após sua queda em um prédio na zona norte de São Paulo. O caso, que já era triste por si só, se transformou em um pesadelo para Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella, quando a polícia passou a investigar mais a fundo o pai e a madrasta da criança e mudou o status do evento de ‘acidente’, como Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá haviam declarado, para ‘homicídio triplamente qualificado’.

Documentário refuta diferentes hipóteses sobre caso Nardoni – Divulgação: Netflix

No documentário, que terá seu lançamento no próximo dia 17, a produção foca em trazer novas perspectivas e reflexões sobre o crime, apresentando como foi o trabalho da perícia, quais provas atestaram a culpa do casal e os motivos para a polícia descartar qualquer hipótese diferente sobre os acontecimentos daquele 29 de março. O filme conta a participação dos consultores Rogério Pagnan, autor do livro O pior dos crimes – A história do assassinato de Isabella Nardoni, e a criminóloga Ilana Casoy, autora dos livros A prova é a testemunha e Casos de família – Arquivos Richthofen e Arquivos Nardoni e ainda com depoimentos de peritos e advogados que falam sobre a pressão da mídia por respostas rápidas para a resolução do crime.

“A produção traz ainda reflexões sobre a nossa sociedade, sobre a justiça criminal – na verdade, sobre o nosso sistema como um todo – e ainda sobre o sensacionalismo. Além, é claro, de resgatar uma história que não pode ser esquecida. Essa garotinha poderia estar hoje aqui com a gente, aos 21 anos de idade, cursando uma faculdade, traçando seu futuro”, diz Claudio Manoel, diretor do projeto ao lado de Micael Langer, um dos roteiristas do filme.

‘Isabella: o Caso Nardoni’ chega a plataforma da Netflix para assinantes dia 17 de agosto.

Compartilhe essa publicação
Formada em Comunicação Social com foco em Rádio e Televisão pela Faculdade Cásper Líbero, com aperfeiçoamento em Produção pela New York Film Academy. Atuante dá área de entretenimento com passagem por programas de variedades, musical e ficcional, entre eles a implantação do programa Faustão na Band.
Comentários

Deixe uma resposta