Eterna Cassandra de “Sai de Baixo”, morre Aracy Balabanian

Eduardo Duarte
4 Min Read

Uma atriz de peso, sofisticada e dona de um talento que a possibilitou navegar pelo drama e comédia, sempre dando o seu tom. Aracy Balabanian nos deixou hoje (07) aos 83 anos.

- Continua após a publicidade -

O início

Aracy descobriu cedo sua vocação para ser atriz, quando em Campo Grande, Mato Grosso do Sul decidiu investir em sua entrada na Tv Tupi em 1965 depois de uma passagem pela Record. A entrada na tupi já a alçou ao estrelato na época e ao lado de Sérgio Cardoso protagonizou a novela Antonio Maria. A novela agradou tanto que a atriz praticamente emendou uma protagonista na outra. A novela Antonio Maria agradou seu pai que antes a rejeitava pela escolha da profissão e passou a aceitar o ofício da filha. Na Tupi, fez as novelas A Fábrica e Nino, o Italianinho. Houve uma dedicação ferrenha ao teatro, outra paixão da atriz.

Estreia na Globo

A sua estreia na Globo ocorreu em 1972 na novela O Primeiro Amor, onde a atriz deu vida a Giovana. Limem seguida já mudou para outra etapa, sua primeira série, Vila Sésamo. Nos anos seguintes vieram Corrida do Ouro, Bravo!, e O Casarão. Com a Milena de Locomotivas a atriz alcançou o posto que havia conquistado na Tupi, o de protagonista. Um sucesso estrondoso que marcou uma época. A atriz que mostrou versatilidade tanto no drama quanto na comédia, participou ainda de Pecado Rasgado, Coração Alado e Brilhante.

A virada na carreira

1982, Elas por Elas, de Cassiano Gabus Mendes estreava com Aracy defendendo mais uma protagonista, Helena Muniz. Outro grande sucesso, mas o melhor de sua carreira viria com sua primeira novela de autoria de Silvio de Abreu, Guerra dos Sexos. Essa parceria lhe renderia seus maiores sucessos na década posterior. Ainda na década de 80, Transas e Caretas, Ti Ti Ti, Mania de Querer (Manchete), Helena e Que Rei sou Eu?.

Os brilhantes anos 90

Aracy já colecionava êxitos mas vieram mais, em 90, seu maior sucesso, a Armênia de Rainha da Sucata, uma personagem, dessas que ficam mais fortes que o próprio tempo foi um dos grandes marcos da novela e da época e fez o autor se reinventar, ele a trouxe de volta na novela Deus nos Acuda de 92. Antes desse reencontro a atriz deu vida a Paquita de Felicidade. Em 95, um drama misterioso, A Próxima Vítima nao seria a mesma sem Filomena Ferreto, uma poderosa empresária que deu a trama o tom de mistério e causou muita polêmica naquele ano.

Sai de Baixo

Há quem via a Cassandra de Sai de Baixo e até duvidada que era a mesma arroz que deu vida a Filomena Ferreto no ano anterior. Isso, claro só se deve a atrizes de grande talento. O Sitcom fez tanto sucesso que ficou na grade por seis anos. Um sucesso arrebatador em sua carreira.

Vai deixar saudades

Dona de um talento gigantesco, Aracy comoveu, causou raiva, deu alegria ao povo brasileiro, gigante em sua própria natureza deixou personagens como a Germana de Da Cor do Pecado, a Leonina de A Lua me Disse entre tantas outras, que podem ser revistadas nas plataformas e manter esse brilho, brilho eterno de uma grande atriz.

Inscreva-se

Compartilhe essa publicação
Comentários

Deixe uma resposta