Novelas com temáticas espíritas somem da Globo

Eduardo Duarte
3 Min Read
Remake de A Viagem
A Viagem foi um grande sucesso em suas duas versões e nas reprises

O aceno ao público cada vez maior de evangélicos tornou a Globo uma espécie de refém para as novas produções. É visível que a emissora não tem inovado tanto assim em suas novas novelas. Isso é uma realidade. Com essa nova fase alguns ajustes foram feitos na grade e projetos nessa linha não devem aparecer tão cedo.

- Continua após a publicidade -

Elizabeth Jhin

Com a saída da única escritora no casting que escreve há anos novelas com temática espírita, a Globo passa o recado de que não haverá investimento nesse segmento. A novelista é responsável pelos sucessos “Além do Tempo”, de 2015, “Amor Eterno Amor”, de 2012, “Escrito Nas Estrelas”, de 2010, e “Eterna Magia”, de 2006. Essa última se baseou em histórias que Paulo Coelho elaborou em alguns de seus livros.

Em 2018, a escritora escreveu sua última trama acenando para esse público: “Espelho da Vida”. Na época a novela não alcançou o grande público, sendo a menos vista. Embora com baixa audiência, é cultuada como uma das melhores já vista com esta temática.

- Continua após a publicidade -

Ivani Ribeiro: autora levou o espiritismo a sério e à tela da TV

Ivani Ribeiro precedeu tudo o que foi ligado ao tema de reencarnação na TV. A mais notável, dentre todas, A Viagem, de 1975 na Tupi, c

- Continua após a publicidade -

ontando com Eva Wilma, Tony Ramos e Ewerton de Castro nos papéis principais. A novela narrava as transições de vida e morte de Alexandre ao umbral e sua sede de vingança a César Jordão, o advogado que o colocou atrás das grades.

Com a morte de Diná e Cesar, a novela ganha outro aspecto, transitando no mundo terrestre, nosso lar ou umbral. A novela foi um marco na carreira da escritora que anos mais tarde escreveria  “O Profeta” com igual relevância. Ambas as novelas tiveram remakes bem-sucedidos anos mais tarde, trazendo o tema e fazendo a busca dessa doutrina crescer exponencialmente.

- Continua após a publicidade -

A TV não quer ousar?

Parece que navegar em altas ondas não é a ideia da Globo nos dias de hoje. Contudo, a emissora perde o que a fez se destacar por todos esses anos. A TV tem que continuar a inovar, contar do bom e velho folhetim de um jeito novo e com outros prismas sobre diversas histórias. Isso traz assuntos a debates mais lineares e mantém o público atento a mudanças. Atentos e desejosos por todo tipo de uma boa novela.

Sempre foi assim e essa é a grande diferença da emissora.

- Continua após a publicidade -

Inscreva-se

Compartilhe essa publicação
Comentários

Deixe uma resposta