The Crown chega ao fim de forma digna e contundente

Ana Giardini
6 Min Read
Na imagem, vê-se Imelda Staunton, vestida com blaser e chapéu azul e expressão séria em close.
Imelda Staunton protagoniza Elisabeth II em última temporada de The Crown.Reprodução: Netflix

Na última semana, a Netflix liberou os seis últimos episódios de The Crown, encerrando a série. The Crown teve seis temporada com 10 episódios cada, revivendo e ilustrando momentos que foram cruciais durante o reinado da Rainha Elisabeth II. A série é uma das mais populares da plataforma e soma 21 Emmys Awards e 69 indicações, sendo 6 delas nesta última temporada. Da mesma forma, a série acumula 23 nomeações e 7 prêmios no Globo de Ouro. O lançamento da 6ª temporada segue entre o Top 10 Mundial da Netflix pela quarta semana consecutiva garantindo já mais de 2,5 milhões de visualizações.

- Continua após a publicidade -

Sobre a 6ª temporada de The Crown

Nesta última temporada, Peter Morgan, criador e roteirista da série, já havia informado que não seguiria até o falecimento da rainha, em 2022. Mas, cumprindo o desejo e expectativa dos fãs da família real e da série, a história não deixaria de abordar temas importantes. Dentre eles, o casamento conturbado entre Charles e Diana, o acidente que fatalizou Lady Di e seu funeral. Além deles, a conturbada adolescência pública de William e Harry e o início do relacionamento entre William e Kate também seriam parte da trama.

Opinião

Nos quatro primeiros episódios liberados em novembro, The Crown destacou os eventos que levaram ao acidente que matou Lady Di, sendo ela o protagonismo central. Enquanto que nos outros seis, voltam a contextualizar a família real, com maior participação da rainha, apesar de ter episódios onde mal aparece.

- Continua após a publicidade -

Inclusive, segundo o jornalista britânico na BBC, Caryn James, esse seria o grande problema da série, que a teria levado ‘ladeira abaixo’ nas últimas temporadas. Diferente da proposta original, que seria contar os eventos ao redor da rainha, a série se dispersava ao colocar como foco outros membros da família real, deixando, assim, Elisabeth II em segundo plano.

Entretanto e sinceramente, não acho que o argumento do jornalista faça sentido, em termos de mundo. Os eventos que acontecem com os demais membros da família real, mesmo sem envolver Elisabeth II diretamente, são essenciais para que gerar as dúvidas que pairam em sua mente retratadas no fim da série. A série evoluiu da mesma forma que a sociedade evoluiu e os eventos que afetam a rainha e a monarquia britânica não são apenas direcionados a ela, mas a toda uma família. E, neste caso, sua popularidade (especialmente depois da morte de Diana), seu envelhecimento (depois da perda da irmã e da mãe) e a mudança de comportamento da sociedade (clamando por Tony Blair), dependem

- Continua após a publicidade -

Sua popularidade, seu envelhecimento, a mudança de comportamento da sociedade, etc.. Além disso, se formos ser honestos quanto ao enredo de toda a série, The Crown fala sobre a Coroa, e o legado e responsabilidade que ela carrega consigo. E, pensando nisso, nada mais relevante do que incluir na série os eventos que mais colocaram em xeque a Coroa nas últimas três décadas, com ou sem Elisabeth envolvida.

O fim de The Crown (contém spoiler)

A série se encerra com o casamento de Charles e Camilla e uma decisão da rainha entre seguir com sua responsabilidade de chefe de estado até sua morte ou aceitar seus receios e abdicar do trono em favor de Charles.

- Continua após a publicidade -

O dilema sobre o assunto se inicia sutilmente com a morte de Margareth. Junto com ele, os preparativos para seu jubileu e seu plano funerário abalavam a segurança de Elisabeth. Pela primeira vez na série, a rainha se coloca em uma posição vulnerável, apesar de se fazer de forte, diferente de outros momento, em que se percebia uma insegurança, mas que não exibida. Além disso, nesta última temporada os deveres da coroa parecem estar num segundo plano e a maternidade e seu papel de avó ganham força mostrando uma Elisabeth mais humana que aquela até então mostrada.

E, se pensarmos na realidade, a figura de Elisabeth se tornou muito mais leve nos últimos vinte anos de vida, entre o período retratado no final da série e sua morte. No último episódio, Claire Foy e Olivia Colman voltam como conselheiras da rainha atual Imelda Stauton e dão suas opiniões, com base em suas gerações, sobre que decisão Elisabeth deve tomar.

- Continua após a publicidade -

É possível uma continuação de The Crown?

Apesar de sabermos que era o final de The Crown, deu vontade de mais. Numa possível continuação, teríamos como enredo o casamento de William e Kate e a relação de Harry e Meghan. Assuntos que até hoje geram curiosidade e polêmica. Inclusive, durante a sexta temporada, alguns pequenos atritos entre os irmãos já surgem dando abertura para o que sabemos que vem na sequência. Mesmo assim, Peter Morgan afirmou que não há planos para um spin-off ou continuação da série.

Confira o trailer oficial

Inscreva-se

Compartilhe essa publicação
Formada em Comunicação Social com foco em Rádio e Televisão pela Faculdade Cásper Líbero, com aperfeiçoamento em Produção pela New York Film Academy. Atuante dá área de entretenimento com passagem por programas de variedades, musical e ficcional, entre eles a implantação do programa Faustão na Band.
Comentários

Deixe uma resposta